Cartas

31/03/2011

A menina está contente

Pois está! A menina, ou seja eu, já tem chinelos fofinhos de inverno, edredon fofinho e respectiva capa, finalmente outro par de toalhas e um piaçaba novo, que o outro metia nojo.
Esta quinzena passada fartei-me de trabalhar, ah pois fartei, mas ontem quando vi o saldo da minha conta soube tããããooooo bem.... vai daí, fui finalmente comprar o edredon (comprei dois porque achei que compensava em vez de comprar um dos mais caros), umas toalhas para não ter de andar sempre a lavar as mesmas (bendita máquina de secar!), umas pantufinhas de inverno... acho que vou dormir mais confortável. Ah pois, é que vocês não sabem mas ontem, 4f, não sei o que me aconteceu mas tinha tanto sono, tanto sono que não conseguia ler uma frase seguida. E isto quando na 3f me deitei às 21h30. A Ane bem diz que eu preciso de descansar... mas não tenho tempo para isso. Acho que o que se passa é que as horas que durmo, durmo mal... ora sonho com as fórmulas para calcular dividendos e preços de acções e obrigações, ora sonho que me caem os dentes todos (como esta noite... fogo fiquei tão aliviada quando acordei... ufa!) e depois com a luz acordo muito cedo. Ah, e o colchão...sentem-se as molas todas a espetarem-se nas costas. Mas parece que esta semana já vêm cá pôr uns novos. Portanto espero que, com edredon e colchão novo o meu sono melhore consideravelmente.
Agora na próxima quinzena vou comprar um pijama e um par de lençóis para não ter de andar sempre a lavar o mesmo par à semelhança das toalhas.
Entretanto, a P. tá de trombas comigo e com a Ane. Depois de tanto desabafo sobre a menina aqui no blog, e depois do comentário da Maria - bem-vinda Maria - achei que realmente o melhor era falar. Então agendei uma reunião para a noite de 2f, e no Domingo disse ao meu Johnny que tinha a certeza que a P. se ia baldar. Bem dito, bem certo... mandou-me um sms a dizer para decidirmos as duas que ela não podia vir. E nós tudo bem. Fizemos um horário de limpeza, com as tarefas a executar em cada divisão, uma lista de regras e até definimos quem tem de levar o lixo para o caixote em cada dia. Deixámos-lhe um bilhete a dizer que caso ela não concordasse com alguma coisa discutiríamos novamente o assunto. A gaja não abriu a boca, mas não nos fala e quando está em casa está enfiada no quarto. Azarucho. Eu por mim, desde que ela cumpra o que está agora no papel, tá-se. Posso bem com o trombil dela.
Acreditam que a gaja fez arroz doce no Domingo para os amiguinhos e depois o guardou no forno - sim no forno - e ainda lá está? Imaginam o cheiro a azedo que dali brota? Pois... eu decidi que nada direi, que nada farei... já da outra vez quando ela fez uma tarte e a guardou também no forno quem a deitou fora fui eu, já estava verde. Desde vez... lamento, não sou empregada de ninguém. A não ser claro está, que ela queira pagar.
Na próxima semana tenho dois mid semester exams, Finance e Macroeconomics. Tenho estudado Finance comó catano - aliás é o que vou fazer já a seguir - mas mesmo assim não estou nada confiante. Aguardemos com serenidade, e seja lá o que o omnipotente quiser, até agora não me tem falhado.
Não vou terminar sem antes deixar aqui um enorme beijo para a C. Reyna. Muitos parabéns, que contes muitos, que sejam sempre felizes, que tenhas sempre saúde e que possas sempre ver quem mais amas perto de ti. Juro que tentei mandar-te um sms, mas as redes aqui nem sempre funcionam...
Para os restantes os beijos, meus, do costume.

O meu edredon, a minha capa e as minhas pantufas

27/03/2011

26/03/2011

Sim, eu sei...

...que sou uma pessoa de difícil convivência. Eu sei que gosto de tudo à minha maneira e que dificilmente aceito as ideias dos outros; bem sei que sou teimosa e muitas vezes autoritária. Eu sei isso tudo e até mais. Mas... sou só eu que não acha normal o saco do lixo, aquele de que já falei aqui no início da semana, ainda estar no caixote, a abarrotar de merda? Sou só eu que não acha normal haver uma barata no meio do chão, gigante e morta, e ninguém a apanhar apesar de todas termos conhecimento que a barata está ali no meio da sala? Serei eu a única a não achar normal cozinhar numa cozinha onde a bancada está cheia de formigas mortas e ninguém limpar? Desde que começaram a aparecer baratas mortas na bancada não houve uma única vez que não fosse eu a aspirá-las; as baratas fui eu que as apanhei do chão enquanto as meninas jantavam calmamente; o lixo, invariavelmente sou eu que o levo para o caixote. Por isso, estou a respirar fundo e a contar até mil, mas não vou apanhar aquela barata, não vou levar aquele saco para o caixote, não vou limpar as formigas.
Hoje, enquanto a P. cozinhava, eu e a Ane comentávamos que o sofá cheira mal, numa mistura de pés com urina com vómito. A P. vira-se e diz: "yec! i'm cooking here!" Tadixa... ouvir falar em pés e urina e vómito mete-lhe nojo... cozinhar numa bancada cheia de formigas mortas e comer numa sala cheia de baratas gigantes mortas, tudo bem.
A P. resolveu - sem consultar ninguém - que amanhã vai trazer uns amigos a jantar cá em casa. Apetece-me esbofeteá-la, em primeiro lugar. E depois dar-lhe umas biqueiradas naquele cu gordo e obrigá-la a lamber as formigas e a barata. Mas à parte disso, ela vai mesmo trazer pessoas a jantar numa casa onde há bichos mortos espalhados pela casa? Enfim, cada sabe da imagem que quer passar de si. E depois disse que ia cozinhar não sei o quê e que claro nós também estávamos convidadas. Eu tenho nojo desta miúda. Não vou conseguir comer nada preparado por ela.
Quanto à Ane... continua a apetecer-me abaná-la. Rais parta a miúda que passa o dia sem fazer um caralho a não ser queixar-se das coisas que tem para fazer...mas que não faz. No outro dia que fomos correr ao ginásio, ela correu com o ipod na mão, durante cerca de 35 minutos. O ipod dela é daquele pequenos e fininhos. No outro dia, não fez nada, nem lavou louça, nem escreveu no computador, nem nada... porque tinha uma dor insuportável no braço que tinha segurado o ipod. Então resolveu tirar o dia, porque a dor de carregar o ipod durante 35 minutos de corrida era excruciante. Apesar de, coitadinha, ter de fazer um assignment... mas não conseguia de maneira nenhuma sequer teclar. Na minha primeira semana de trabalho, de carregar carros cheios de tabuleiros de comida, e caixas cheias de leite e sumos e etc, tinha uma dor na mão direita tão grande que mal podia abrir a torneira. Acham que parei a minha vida por causa disso? Acham que deixei de escrever os meus apontamentos? Não. Aguentei a dor. Até passar.
E coitadinhas das meninas, das duas, que têm tanto para fazer mas não têm exames...só assignments. E a Ane... que está a fazer um mestrado em terrorismo, tapa a cara quando vê as fotos do relatório da ONU sobre tráfico de pessoas. E não consegue ver as Mentes Criminosas nem o CSI nem nada que mostre cadáveres.
E eu...eu estou farta de tanta paneleirice junta. A P., também de porca, só me apetece bater-lhe, ensinar-lhe maneiras e esfregar-lhe os hamburgueres vegetarianos do caralhinho naquela tromba e pôr na cama dela a merda que deixa espalhada pela casa. A Ane, só me apetece abaná-la e dizer-lhe: CRESCE PÁ!E é com isto que tenho de viver, e sinceramente tenho muito medo do que me espera depois de Junho, quando tiver de me mudar.
Entretanto o estudo em Finanças estava a correr bem. Excelente mesmo. Tudo percebidinho, exemplos do livro sem stress. Passo para os exercícios do prof, não sei fazer nada. E não sei para que lado me hei-de virar, porque não quero voltar para Portugal, mas não aguento mais isto: o trabalho, duro sobretudo quando é no restaurante, os colegas de trabalho dos quais não percebo uma palavra e que julgam que sou meia tola, os exames que se aproximam e para os quais não consigo estudar mais mas que continuo sem perceber, os trabalhos de casa e assignments que tenho pendurados e que não tenho tempo de fazer, viver com esta gente, as baratas no meio do chão... não saber se isto vale a pena.

25/03/2011

Juro

...que chorei, mas mesmo, a rir com estes vídeos. Obrigada à Cocó.




24/03/2011

Sei que o meu cérebro está nas últimas...

...quando de manhã ao pôr o leite no microondas em vez do tempo marco o meu pin do multibanco.

23/03/2011

Read without prejudice

Bom, ando há algum tempo para escrever aqui as minhas impressões das outras culturas que tenho por aqui apanhado, meaning, ando há algum tempo para falar das outras pessoas que aqui conheço sobretudo vindas de países como a China e a India.
Ponto prévio: na minha opinião todos temos algum tipo e preconceito, uns mais outros menos, mas todos temos preconceitos relativos a pessoas, ideias, países, culturas, facções políticas and so on. Eu também tenho. Tento combater esses preconceitos porque acho que são uma coisa má que me pode limitar em termos de aprendizagem e em termos de visão dos assuntos, mas é absolutamente inevitável em algumas situações.
Posto isto vamos lá aos chineses. Já aqui disse que 90% dos estudantes desta universidade - senão mesmo desta cidade - são chineses. Não sei se por isso - como são muitos não precisam de se dar com os outros - os chineses não são as pessoas mais simpáticas do universo... são até provavelmente os mais antipáticos e inacessíveis. Uns porque têm um inglês péssimo - pudera, só falam chinês entre eles - e são tímidos; outros porque simplesmente não se querem dar ao trabalho. Há alguns até que, com outros não chineses presentes, insistem em falar chinês, o que para mim é de uma tremenda falta de educação. Se até vir para cá não tinha grandes preconceitos relacionados com chineses, e asiáticos em geral, confesso que agora começo a ver neles coisas que me incomodam. E esta não é só a minha opinião. É a opinião de todos os não chineses, assim no geral. Os sul coreanos e japoneses são ligeiramente mais simpáticos, mas mesmo assim... estão longe de ser, como dizemos aqui, friendly...
Nos últimos dias tenho reparado numa coisa absolutamente fora do normal e, eu diria, a tocar o rídiculo. É que no campus já vi uns 10 ou 20 chineses - creio que não são sempre o mesmo - com t-shirts do super homem. A sério... isto é uma coisa que me dá vontade de rir. Noutro dia, creio que na 2f, vi um casal de chinocas cada um com a sua t-shirt do super homem. Não sei que tipo de mensagem tentam passar com isto, ou se o super-homem é mesmo muito famoso naquelas bandas, mas é um fenómeno curioso e que eu acho digno de análise.
Passando aos indianos. Os indianos são... bom para começar são os que têm o pior accent. É impressionante  como falam mal inglês. E depois são machistas, já para não falar que não se misturam muito com os ocidentais. Preferem ficar ali entre eles, ou quanto muito com o pessoal do Paquistão, Malásia, etc. Aquele com quem estive a trabalhar há dois dias era digno de ser esbofeteado. Acreditam que ele se negou, por duas vezes, a ajudar-me a levantar do chão? Eu estava sentada no chão, queria levantar-me, pedi-lhe para me segurar a mão e me ajudar a levantar e ele disse não, duas vezes.
Ok, os conceitos de simpatia devem ser diferentes, mas acreditem, não é fácil conviver com estas duas nacionalidades. Porém, é bom que me habitue, porque da maneira como isto é aqui, daqui a uns 20 anos a Austrália vai ser uma colónia chinesa.
Mudando de assunto, hoje fui ao meu primeiro Think Thank para o Global Leadership Program. Foi sobre Inteligência Emocional e posso dizer que valeu cada minuto das 3h que lá passei. Muito bom mesmo! No final fizémos um role play, eu participei, e o prof disse que eu tenho um elevado nível de inteligência emocional. Portanto, não sou boa a finanças, mas toma lá que inteligência emocional é comigo. Era suposto eu, no papel de chefe, conseguir que o meu subordinado me contasse os seus problemas pessoais que nas ultimas semanas estavam a afectar a sua performance no trabalho. E segundo o senhor Albert Lim, o professor, de todas as vezes que fez este role play, eu fui a primeira a conseguir que o empregado me contasse que estava em fase de divórcio. E ainda disse que duas ideias que tive - oferecer ao empregado actividades sociais e aconselhamento profissional - foram brilhantes e inéditas. Deve ser porque tenho tido chefes tão maus, mas tão maus (com as devidas excepções que sabem quem são) que já aprendi tudo o que um chefe não deve fazer. Chama-se a isto tirar proveito das coisas más. E eu tenho tentado fazer isto, porque como boa pessimista que sou, sou também excelente a encontrar dificuldades, mas nem sempre tão eficiente como gostaria a encontrar pontos positivos. Volto a dizer, não sou boa a finanças, mas olha inteligência emocional é comigo!
Falando em finanças hoje fui à aula pela primeira vez. Como sou externa nessa unidade costumo ouvir as gravações online. E devo dizer que foi a primeira e ultima vez. Foi uma completa perda de tempo. Não sei como é que um professor tão bom a explicar os exercícios e problemas face-to-face, pode ser tão mau na sala de aula. Portanto, próxima vez fico mas é em casa a ler o capítulo correspondente e depois marco uma reunião com ele para colocar dúvidas.
Entretanto e com tanto estudo pelo meio esqueci-me de fazer o assignment semanal de Marketing, pelo que tenho de o fazer ainda hoje ou amanhã de manhã cedo, já que vou trabalhar as 11am até às 10pm.
Nota final: o saco do lixo onde pus as baratas ainda está na cozinha. Ninguém o leva para o caixote. Prometo-vos aqui que eu não o vou levar. Aguardemos para saber quantos dias mais vai ficar ali. É curioso que elas são tão nojentinhas com as coisas, mas continuam a pôr coisas no saco, que já está mais do que cheio, quando as baratas estão ali mesmo à superfície. Meninas... só me aparecem meninas!
That's all folks! Umas grandes beijocas para vocês e até sexta ou sábado... ou sei lá...

22/03/2011

De pernas para o ar

Não sei se é por estarmos aqui virados ao contrário... mas tudo se me avaria. Agora foi a calculadora. Oh cum camander pá!

21/03/2011

Das meninas mimadas e outras coisas

Bem me queria parecer que esta chuva toda não era normal… parece que não chovia assim em Sydney desde 1984… deve ser com certeza uma homenagem à minha pessoa que adora chuva… ou então não. Bom, a Ane andou uma semana inteira a implorar por chuva, só porque a vizinha da frente lhe disse que quando chove, os bichos – tipo cobras – se mantêm na floresta e não sobem até à parte das casas. O pessoal dos southern suburbs é que não deve estar a achar piada porque parece que já há inundações por lá (aqui são os northern suburbs).
Ainda assim, com esta chuva toda, lá nos levantámos cedinho e fomos correr ao ginásio. Mas lá está… isto de ir com a Ane atrasa-me. Queria ter começado a correr às 7h30, mas só comecei às 8h… porque a Ane… a Ane funciona a meio gás. Acordámos ao mesmo tempo e eu vesti-me, lavei a louça, tomei pequeno-almoço e depois ainda fiquei à espera dela. Porque ela demora… cada coisa a seu tempo, devagar… ah! E nada de ligar a TV com ela por perto. Fica absolutamente hipnotizada. Esquece-se do mundo! Mas na realidade não está a ver, porque eu hoje mudei de canal sem querer, enquanto movia o comando para outra ponta da mesa, e ela nem reparou… mesmo com a TV com o volume altíssimo, porque ela é meia surda…
Depois a tomar banho… jasus! Esta miúda leva 45 minutos no duche. E já para não falar nas cenas de tecnologia… pois esta menina tem um Macbook topo de gama e não lhe sabe mexer. Não sabe o que é o painel de controlo, quem lhe instalou a internet fui eu, não sabe carregar a impressora com folhas, não foi capaz de digitalizar uns documentos, não sabe copiar os documentos da pen para o computador, não sabe imprimir em draft, não sabe cortar um bocado de uma imagem para colar num slide de PPT… a sério… cada vez mais acho que Deus dá nozes a quem não tem dentes.
Não me interpretem mal. A Ane é querida e educada e atenciosa. E eu gosto dela e conversamos imenso. Mas não sabe aquilo que tem, não sabe a sorte que tem. Não trabalha e só tem aulas à noite. Mesmo assim, queixa-se o dia todo que não tem tempo para ler, e que está cansada… E quando as formigas aparecem mortas na cozinha – coisa que ultimamente é diária – ouço o lamento dela “no, no, no”! Mas depois não limpa. Eu é que tenho de pegar no aspirador e remover os cadáveres. Aliás, hoje veio cá um senhor para lançar spray por aí para as formigas e baratas, e quando íamos a sair de casa duas baratas gigantes estavam mortas na sala. Saímos porque já não tínhamos tempo de limpar. Cheguei a casa em último lugar. Estavam as duas meninas alegremente a jantar no mesmo espaço onde há duas baratas gigantes mortas… Claro que a primeira coisa que fiz foi pegar na pá, recolher os cadáveres e metê-los no lixo. Não percebo… cheias de “no, no, no” e depois jantam a observar duas baratas gigantes mortas… da porcalhona não me admiro, mas da Ane?!?!
E sacos do lixo? Neste momento temos 5 na cozinha, ninguém os leva se não for eu. Ai jasus… eu só me apetece abanar a Ane! Porque pessoas assim me fazem impressão. Eu sou mais do género não tenho tempo a perder e não deixes para amanhã o que podes fazer hoje, e se tem de ser feito que seja já e depressa e bem e há coisas que não me posso dar ao luxo… e depois vejo estas pessoas que pedem licença a um pé para mexer o outro, que são molengonas e queixosas e cheias de merdinhas e merdecas, e que estão habituadas a não fazer um caralho e que vêem coisas que as incomoda – tipo baratas mortas no chão – mas não se mexem para resolver o assunto e só me apetece gritar-lhes e pedir-lhes para abrirem os olhos e olharem à volta. Isto são mas é duas gajas mimadas e habituadas a não fazer nenhum… a chilena tem um pai dono de um hotel; a norueguesa um pai Chef e dono de uma empresa de táxis. Ambas habituadas a não pagar renda de casa e a ter empregadas de limpeza… a sério… eu acho que nem sequer as invejo. Porque não há nada mais triste do que não nos conseguirmos desenrascar sozinhos.
Entretanto, e mudando de assunto, recebi o meu primeiro teste, o de Accounting. Em 44 pessoas só 12 passaram. E, meus piquenos/as, eu fui uma delas. E em 40 marks, que era o total do teste, eu tive 27,5. Portanto acho que não está nada mal. Pena que só vale 5% da nota final e ainda tenho o mid-semester e o final exam pela frente. Mas… grão a grão enche a galinha o papo, já dizia o meu avô.
Agora estou, para não variar a estudar Finance. Encontrei outro livro que me parece mais fácil e estou a começar tudo outra vez. Não me chamo eu Helena se não vou perceber isto! Mas está a doer… a sério que está. O que me está a doer também são as pernas da aulinha de Pump de ontem. Mas sabe bem. Estou contente de me ter inscrito no ginásio. Hoje corri 34 minutos, 5,6 quilómetros. Sabe tão bem! Os dias até parecem melhores.
E por agora é tudo… vou estudar mais um bocadinho e depois dormir que amanhã começo a bulir às 7h30.
Beijos pequenada

PS: Aqui fica uma pequena amostra de como encontrámos a cozinha um dia destes. São formigas senhores, são formigas! E eles aqui dizem que é normal




20/03/2011

Eu, a Ane e as minhas cenas

E finalmente a semana chegou ao fim. Foi dura, cheia e cansativa mas acabou. Acabou a semana…não o esforço e o cansaço e os trabalho que nunca mais acaba. Tenho estado o fim-de-semana todo agarrada à matéria de Finanças e confesso que não percebo nada… assim mesmo…nada. Bom ok, algumas coisas, mas pouquinho, pouquinho. Não sei que mais voltas hei-de dar a isto… estou numa fase de seja lá o que Deus quiser.
O teste contabilidade na segunda-feira não correu lá muito bem, o que me chateia porque eu sabia fazer o exercício. Aliás, antes de entrarmos no teste estive a corrigir o exercício de uma colega – que não sabia onde estava o erro – e depois…lá dentro… não consegui que os cálculos batessem certo. O que me levou a perder imenso tempo, o que me levou a não fazer a ultima questão. Enfim… merda, mas também só valia 5 por cento da nota final. Agora estou mais preocupada em começar a fazer o exercício que vale 25 por cento e que tem de ser entregue em Maio… mas que é realmente enorme. O professor de Finanças recebeu-me também na segunda-feira. Lá me explicou tudo o que eu tinha para perguntar e disse que sempre que eu quiser posso lá ir, uma ou duas vezes por semana de acordo com a minha disponibilidade. O problema é que como não percebo nada, não sei que perguntas lhe hei-de fazer… então eu queria mesmo muito aproveitar a oportunidade que ele me está a dar, mas por outro lado não sei como fazer porque por muito que estude não percebo nada.
Na sexta feira tive teste de Macroeconomia, acho que correu bem…acho!! Que isto nunca se sabe. O que se passou no meio da semana foi muito trabalho, muito estudo, muito cansaço, poucas horas dormidas. Sábado lá me permiti dormir até às 9.30h e depois tive de ir ao supermercado porque já não tinha nada para comer. A Ane pensou nisso e na sexta-feira comprou jantar para as duas…que miúda querida. Mas já vos falo mais da Ane.
A chatice de ir ao supermercado aqui é que é muito longe. Então saí de casa antes das 11h e só consegui regressar perto das duas. Pensando nisso comprei montes e montes de comida. Só quero ter de fazer isto duas vezes por mês, no máximo! Também comprei o meu disco externo para guardar os meus docs todos… este pc agora anda a portar-se bem mas nunca se sabe. Falando nisso falta um mês para o meu aniversário… só naquela de vocês saberem, tá?
Voltando à Ane, no sábado pediu-me para fazer as minhas beringelas recheadas outra vez. E eu fiz. Não me importo.
Estávamos noutro dia a conversar sobre a P.
A P., nas últimas duas semanas trouxe dois gajos cá a casa à noite, e dormiu fora duas vezes. Realmente há gostos para tudo porque para mim a gaja tem o ar mais sopeiro e porcalhão do universo… mas enfim eu talvez pense assim porque vivo com ela e vejo as porcarias que ela faz.
Mas bom, a Ane contava-me que numa determinada manhã quando desceu do quarto para fazer o pequeno-almoço, a P. estava na sala a tomar o pequeno-almoço. Era muito cedo e ela estava completamente vestida. Depois do pequeno-almoço foi tomar banho, mudar de roupa e sair. Pelo que, a Ane concluiu que ela não tinha dormido em casa. Ainda nos fartámos de rir, porque concluímos que no nosso tempo dormir na casa de um gajo dava direito a pelo menos duas coisas: duche e pequeno-almoço. Vai daí ficámos sem perceber o que mudou nestes setes anos de diferença de idades que temos para a P. (eu sete, a Ane cinco)que leva uma gaja a ter de vir tomar o pequeno-almoço a casa depois de uma noite em cama alheia…
A Ane faz anos em Abril como eu. Somos do mesmo signo, deve ser por isso que pensamos da mesma forma em muita coisa. Porém… na sexta-feira a rapariga lá se lembrou que está a seis semana de casar e que o peso que tem neste momento não era o ideal. Então vai daí resolveu que queria vir correr comigo. Ora… isso não é uma boa ideia. Eu sou aquela pessoa que vê no exercício físico uma forma de não pensar em nada… é por isso que não gosto de fazer exercício a dois ou a três e no ginásio era a pessoa mais antipática do universo.
Entretanto como aqui não pára de chover desde sexta, não pudemos ir correr como tínhamos combinado. Resolvi inscrever-me no ginásio. Ela também está inscrita. Então agora vamos juntas às aulas… e isso é coisa que me chateia. Porque …não perguntem porquê, é uma cena minha. Ginásio, corridas, desporto no geral… sozinha… excluindo o Ténis quando vou com o meu Johnny. E depois ela é daquelas pessoas que gosta de ficar na última fila, eu não. Ela tem vergonha de tomar banho no ginásio, eu não. Ela gosta de aulas como Body Pump, que eu também gosto, mas eu gosto mais de RPM e Body Attack e coisas do género. Então, prevejo uma relação difícil a partir deste momento. Amanhã quero ir correr na passadeira, de manhã. Como ela já disse que quer ir sempre comigo tenho de marcar uma hora, e eu gosto de ir quando me apetece… enfim… é o meu lado anti-social, que hei-de fazer?!? Bom dentro de duas semanas ela está a ir para o México e depois só a vejo em Maio.
Outra coisa que é estranha, e acho que isso tem a ver com o facto de ela ser nórdica, é que o almoço para ela é tipo às 11h ou às 11h30. E o jantar às 18h. Então quando sou eu a fazer o jantar para as duas vejo-a a agonizar de fome… então lá faço o jantar para as 19h30, o que para mim é cedíssimo… mas enfim, eu gosto da rapariga lá lhe vou fazendo as vontades…e ela lava a louça no final, portanto… compensa.
Entretanto aqui são quase sete da tarde de Domingo, e eu ainda tenho uma aula de Finanças para ler. A próxima semana vai ser a loucura mas sem testes. Vou assistir à primeira palestra para o Global Leadership Program e é sobre Inteligência Emocional. Tenho de ler 15 páginas antes de assistir à palestra… é o que eu digo… como tinha pouca coisa para fazer lá decidi arranjar mais uma. A sério… eu precisava de mais umas 10h por dia! No mínimo…
Vou tentar dar mais notícias nesta semana que vem. Beijo grande ;)

14/03/2011

And that's what I did

Assim como lavamos o corpo devíamos lavar o destino, mudar de vida como mudamos de roupa 
(Fernando Pessoa)

13/03/2011

Os despojos da semana

Ok, hoje não é sábado conforme tinha prometido, mas de facto esta minha semana foi praticamente espectacular. O meu computador morreu numa bela manhã de quinta-feira, dia que eu tinha livre para estudar. Acordei tentei ligá-lo e nada. Tirei bateria, pus bateria, liguei-o à electricidade, desliguei-o, carreguei no botão mil vezes e nada. Morreu. Coração a bater mais forte, lágrimas a escorrer, pensamentos a mil: "ai e agora que tenho de comprar um computador novo", "ai e agora como é que imprimo as cenas que tenho para estudar", "ai e agora como é que falo com as minhas pessoas", "ai e onde é que vou arranjar dinheiro para comprar um pc novo", "ai que perdi tudo o que lá tinha", "ai que arranjar esta merda deve caríssimo", "ai que não conheço ninguém onde é que mando esta merda a arranjar".
Nesta confusão de pensamentos, desespero e tristeza e um pouco de self pitty ("porquê a mim? porquê??") aparece-me a Ane na cozinha. Que miuda mais fofa! Foi imediatamente buscar o Mac dela e ajudar-me a procurar alguém a quem eu pudesse levar o pc para arranjar. Depois, como eu não tinha dinheiro no telemóvel porque aqui carregar o telemóvel é uma cena muita fixe, emprestou-me o telefone para ligar para os sítios.
Lá encontrei o Richard, um chinês que por acaso até trabalha no departamento de informática da faculdade e que se dispôs a encontrar-se comigo na biblioteca ao meio-dia.
Ao meio-dia lá fui eu com o meu bebé, a rezar para que não fosse nada. Chegada lá, o Richard pega na máquina, carrega no botão e nada. Ligou-o à ficha, carrega no botão e eis o milagre da ressurreição em todo o seu esplendor! Desligou-o, ligámos só com bateria e eis que o menino funciona outra vez às mil maravilhas. Quinze minutos e 30 dólares depois, regresso a casa aliviada por um lado, mas furiosa por outro... perdi uma manhã inteira nisto.
No dia seguinte lá fui eu para a aula de Macroeconomia de manhã cedinho. Tenho teste na próxima 6f e não prevejo nada de bom... mas aguardemos com serenidade. Irei ainda estudar durante a semana. Neste fim de semana dediquei-me a Accounting porque tenho teste na 2f e também a Finanças porque o prof vai receber-me para me esclarecer algumas dúvidas.
Workshop de Assignments and understanding questions, uma seca... e aulinha de Marketing à noite. Como sempre às 6f, passo o dia todo no campus. E não me chateia nada porque o ambiente é super boa onda e posso sempre fotocopiar os capítulos da semana que vem, ler um bocado, ir às compras.
Na aula de marketing à noite caiu o  Carmo e a Trindade. Então não é que o Abhi e a Kate (russa), que fazem parte do meu grupo (há uma Isabel que nunca mais vi)  para fazer um projecto que vale 25% da nota, decidiram que era interessante gozarem comigo? Passo a explicar. No final da aula, estava eu a tentar perceber que ideias preliminares tinham eles sobre o trabalho, quando eles em vez de me responderem resolvem rir à gargalhada e dizerem que não querem saber, e que nem sequer sabem o que é o marketing-mix...
Perante este espectáculo, eu que já não tenho nem idade, nem paciência, nem dinheiro para merdas destas, avisei-os:
"Here's the deal: for me this is very serious. If it is for you too, ok... I'll keep with you guys; but if not, I'll change group". Parece-vos isto uma piadola? Pois a eles pareceu, porque riram ainda mais, e o Abhi dizia à Kate "yeah yeah... she takes this really seriously". E enquanto dizia isto tinha de segurar a pança e dobrar-se com as gargalhadas.
Até aposto que já me estão a ver a deitar fumo... pois é... resumindo, mandei um mail ao professor e já arranjei outro grupo. Eles que se orientem. Aliás, parece-me que o Abhi é um bocado parvalhão. Nesta aula, todas as semanas temos de entregar uma pequena análise de um artigo de imprensa escolhido por nós que relacionemos com o tema da semana. Esta semana, o prof escolheu o meu nome para abrir as hostilidades. Depois seguiu por ali fora até chegar ao Abhi. E ele falou sobre um artigo que tinha lido num jornal sobre uma empresa indiana. Tudo mentira. O artigo não existe, ele não fez o trabalho. Mentiu na aula descaradamente. Claro que não sei o que ele espera com isto porque no final da aula temos de entregar o trabalho ao professor... mas ok ele é que sabe. Eu só acho é que isto demonstra muito do carácter e da maturidade da pessoa.
Entretanto chega o fim de semana e eu preparadíssima para estudar. Mas ontem foi a vez da minha internet morrer. Liguei à Virgin. 35 minutos e 6 dólares depois, lá concluíram que o problema era o meu computador e não a net. Outra vez um bocadinho de self pitty e a decisão: "Porra! tenho mesmo de comprar um pc, c******!" Á noite liguei a minha net no Mac da Ane, que volto a dizer é fofa até mais não, e consegui ligar-me por uns 15 minutos se tanto. Morreu. Ora portanto pensei, talvez o problema não seja o computador... Decidida a ir hoje refilar à Virgin, pessoalmente, acordei e eis que tudo voltou ao normal. A net funciona, o pc funciona, o dia foi calmo, tá um calor do catano e o meu quarto parece um forno no máximo, mas tudo está bem. E eu, estou mais uma vez aliviada. No entanto, só naquela, amanhã vou comprar um disco para guardar as minhas coisas... não vá o D**** tecê-las.
Para compensar a Ane, e também porque ela pediu, ontem fiz o jantar para as duas: beringelas recheadas. Ela amou e eu fiquei contente. :)
Esta semana que se aproxima vai ser muita gira. Teste na segunda à noite, reunião com prof de finanças de manhã, terça trabalho e estudar macro, quarta idem (mas neste dia começo a trabalhar às 6.30am outch!), quinta idem. Pelo meio ainda tenho de arranjar tempo para Finanças porque também há teste na 4f, mas não conta para nota e eu não vou fazê-lo porque ainda estou presa na primeira aula... Sexta de manhã teste de Macro. Portanto quando chegar à aula de Marketing na 6f até vou achar que é mentira! Estou ansiosa para que a semana termine e ainda nem começou...
Isto de ter sempre muito que fazer é uma merda porque este fim de semana, por exemplo, esteve um calor do catano, dias lindos, céu azul e eu enfiada em casa. Houve um festival português em Petersham, o meu chefe e o André perguntaram-me se eu queria ir... e eu queria. Queria tanto... mas isso significava perder duas horas de caminho para lá, duas para cá, mais o tempo que lá ia ficar... ou seja um dia ao ar...um dia de véspera de teste ao ar... não posso. Mas tenho pena. Mesmo.
Agora estou a terminar de estudar Accounting. Depois quero ver se ainda leio umas merdas de Finanças. E o dia está quase no fim, e eu tenho a sensação que precisava de mais umas 15 horas, no mínimo.
Aqui em baixo podem ver a beldade que eu e a Ane encontrámos no nosso jardim nesta semana que passou. Eu e a Ane não gostamos. Mesmo.
Dada a minha próxima semana, não sei quando voltarei aqui...mas visitem-me. Quem sabe eu não arranjo um tempinho para vos dizer que estou a ficar maluca :)
Beijoooooossssss


10/03/2011

Então é assim...

não querendo lançar foguetes antes da festa, parece-me - parece-me! - que a tal cadeira de Finanças me começa a dar tréguas. Pelo menos já não é mandarim. Porém - e depois do colapso nervoso que tive esta manhã quando o meu computador resolveu não ligar (e depois quando o levei ao técnico funcionou como se nada fosse) - levei uma tarde inteira a perceber meia aula. Faltam-me portanto duas aulas e meia antes de 4f, altura em que serão 3 aulas e meia. Como tenho teste de Accounting na 2f, e de Macroeconomics na 6f,e entretanto trabalho 3f, 4f e 5f, terei de pôr isto em stand by. O que não é muito bom porque começo a entrar no esquema. Aguardemos com serenidade. E já agora não torçam só por mim, torçam também pelo meu pc que não se anda a portar muito bem e depois se tenho de comprar um aqui acabaram-se os acentos...
Sábado, como disse, prometo um relato pormenorizado.
beijooooossss

09/03/2011

E eu até tenho...

coisas novas para contar, queixas novas para me lamentar, fotos novas para mostrar. Mas o cansaço é tanto, o tempo é tão pouco que, e as tarefas tantas e tão difíceis que... perdoem-me, agora só lá para Sábado.

08/03/2011

Sonoooooooooooooo

E então é assim ando cansada, estourada, completamente partida. Farto-me de andar para todo o lado, farto-me de estudar horas e horas a fio, farto-me de trabalhar cedinho e o resultado é este...ando cheia de sono e cansada. No sábado, vou tirar a manhã para dormir. Não quero saber do teste na 2f, não quero saber dos problemas de finanças...não quero saber. Sábado vou dormir, com sorte só acordo lá pelas 9h30... sim porque sem nada que me tape a luz do dia torna-se complicado.
Como tenho pouca coisa para fazer e até estou a acompanhar tudo muito bem e percebo as aulas todas e tudo o que tenho para estudar, resolvi inscrever-me ontem no Global Leadership Program, um programa que eles aqui têm de, claro está, liderança que apesar de ser extra curricular fica registado no Academic Transcript e ainda nos dá direito a cartas de recomendação e mais não sei o quê. No total tenho de ir assistir a 6 Think Tanks ao longo dos dois semestres, 1 palestra de um distinguished speaker, e depois tenho de fazer o que eles chamam de cross cultural praticum, ou seja, tenho de arranjar um estágio ou trabalho voluntário de 40 horas numa qualquer empresa/instituição não australiana ou que faça trabalho relacionada com outras culturas. Vamos lá ver se vou conseguir acabar.
O problema desta faculdade é que tem tanta coisa extra curricular interessante que uma pessoa fica com pena de não ter tempo para fazer tudo. Por exemplo, o career service é excelente! todos os dias quase eles têm meetings com pessoal das grandes empresas que vêm à universidade falar das suas experiências. É uma chatice não ter tempo para tudo.
Entretanto, aqui em casa a P. tem andado mais bem comportada. Acho que percebeu que eu estava no limite. Mas pita como é acredito que isto ainda não tenha ficado por aqui e que um dia ainda me venha a chatear com ela mesmo em grande... A Ane é fofa até mais não! Tadixa que agora té com uma gripe monstra, espero que não me pegue, mas noutro dia esteve a dizer-me que já percebeu que eu sou o tipo de pessoa que não desiste das coisas e que por isso nem pensar em desistir por causa da cadeira de finanças. Bom eu não penso desistir é um facto...eu só acho que não vou conseguir passar. E se não conseguir passar... bom aí serei obrigada a desistir de tudo o que cá vim fazer. E é isso que me aflige neste momento. E por causa disso mesmo agora vou ali correr num instantinho, depois estudar, depois trabalhar e depois dormir. Para vocês, os meus beijinhos

06/03/2011

I Love you

Saí de Portugal há um mês.

Fuck

Para compensar o dia de ontem, hoje até vontade de chorar já me deu. Tenho as soluções dos exercícios de Finanças e devo dizer que se tivesse um livro escrito em mandarim perceberia melhor. Pela primeira vez desde que aqui estou penso seriamente em desistir. Ai valha-me o Senhor, no que é que me vim meter. A sério se olhassem para isto iam perceber o que quero dizer... fuck. Nunca vou conseguir passar nesta merda.

05/03/2011

And my heart smiled

O meu dia hoje foi muittttooooo bom! Já não respirava cidade há duas semanas, já não fazia nada senão estudar e trabalhar há duas semanas e, por isso, hoje que tirei o dia soube-me muito bem. Cidade magnífica, companhia excelente, sushi do melhor, coisas novas para ver e fotografar... ok tempo de merda, mas perante tudo o resto nem a chuva me chateou. E até comprei um vestidinho com o meu primeiro "salário" kanguru :)
Então de manhã, pelas 1h lá fui eu ter com o André, lembram-se, aquele que me salvou a ida a Petersham?
Então o André tem em altura o que tem em doçura, simplicidade (o homem não tem facebook...) e transparência. É engraçado que às vezes tentamos esforçar-nos para agradar alguém e não percebemos que as coisas mais simples são, muitas vezes, as que nos sabem e fazem melhor. E o André, com essa simplicidade, hoje, fez-me bem sem fazer nada de mais além de me receber com um sorriso franco, de me levar a passar a ponte a pé, de ter acordado cedo por minha causa e de me dedicar o dia, pelo menos até às quatro da tarde. Contou-me uma parte de si e eu uma parte de mim, mas não tudo. Que isto da amizade é uma coisa que cresce sem pressas.
Depois de o André ir embora fiquei à espera do Mardi Gras que ia começar no Hyde Park às cinco. O André avisou-me que a coisa podia ficar realmente agreste e explícita, mas eu mesmo assim quis perceber o que era o Mardi Gras e lá andei às voltas a fazer tempo. Estive quase a ir embora mas depois lá voltei atrás. Não assisti ao início do desfile porque eu pensei que começava às cinco e afinal era só às sete e meia, mas ainda apanhei os preparativos... e umas figurinhas que meus amigos e amigas... vejam aqui em baixo que vale a pena.
Foi um dia muito bem passado, soube-me bem espairecer, ir à cidade porque não aguento a selva onde vivo, conversar com alguém sem ter de me esforçar a pensar em como dizer o que realmente quero dizer e muitas vezes desistir porque ainda não tenho palavras suficientes. Soube mesmo, mesmo bem.
Amanhã lá me vou enfiar na biblioteca outra vez. Tenho homework de Accounting, Macroeconomics, Marketing e já tenho as soluções de Finance, por isso vou dedicar umas horas a isso também.
Por agora pequenada é tudo. Já sei que ao fim de semana ninguém me liga nenhuma :( (sim é uma queixa) mas desejo-vos um bom fim de semana!
X.O.X.O
Pronto o André não gosta de fotos... por isso lá lhe tapei a cara...o que é uma pena


At Busaco Road

Cervejola às 11am?!?!

The Rocks


Walking on the bridge



Luna Park


Mardi Gras


Italian warriors

Eu queria tirar uma foto com elas mas tive medo de ser chicoteada se pedisse

...

não à monogamia dizia este sr...

04/03/2011

Não houve sangue, mas há uma cobra

Bom então...não cheguei a partir a dentola da pequena mineira ontem.Quando me fui deitar ela ainda não tinha chegado e nem sei a que horas chegou. Deixei um bilhete gigante na mesa para as duas a dizer que não tolerava mais o que aconteceu ontem e que precisávamos reunir para estabelecer regras de utilização dos espaços comuns. Ainda não a vi hoje... mas quando acordei hoje cedo a cozinha estava um brinquinho!Ainda assim ela que não pense que não vai ter de me ouvir. Tenho cá para mim que me anda a evitar mas eu tenho uma excelente memória e por isso, nem que seja daqui a um mês, ela vai ter de me ouvir sobre o que aconteceu ontem.
Entretanto hoje estive o dia todo nas aulas e já arranjei um grupo de trabalho para a cadeira de marketing. O Nelson Burgos, colombiano, a Kate, russa e o Abhi de quem já falei aqui. Aliás eu e o Abhi damo-nos muito bem e até fomos estudar juntos no outro dia mas ele afinal não sabia assim tanto como prometeu...
O Nelson é um querido. É pequeno, arranjadinho e amoroso. Já é residente, está cá há seis anos e está a fazer o curso em part-time, o que significa que só tenho duas cadeiras com ele. Trabalha no departamento de Inglês da faculdade o que muito me surpreende... porque quem cá está há seis anos e trabalha no departamento de inglês de uma universidade devia saber falar melhor...inglês. Mas é fofinho e amoroso e já me disse que se nalguma semana não tiver as 20 horas de trabalho na MGSM, ele me dá mais umas quantas no IELTS a vigiar exames. Cool!
Quando cheguei a casa a Ane estava louca com tudo trancado porque viu uma cobra aqui num dos jardins quase à porta de casa. Parece que gritou desalmadamente até vir a vizinha que se riu a bandeiras despregadas porque era só uma cobra verde que não faz mal. Mas para termos cuidado e evitarmos vir para casa já de noite porque pode haver uma castanha e nesse caso é melhor não nos aproximarmos porque é mortal. É bom saber destas coisas... Segunda feira vamos queixar-nos porque não queremos viver num sítio com cobras.
Amanhã é o Mardi Gras aqui. Isto é, na cidade... acho que vou passar por lá apesar de o André me ter dito que é absolutamente assustador. Antes disso vou ter com ele ara darmos uma voltinha e para almoçarmos naquele que é, segundo ele, o melhor sushi de Sydney. Amanhã há fotos pequenada! Atentai!
beijinhos

03/03/2011

Run out of patience

Fez ontem três semanas que aqui cheguei e deixem-me dizer-vos que ainda não me tinha sentido tão chateada como hoje. Posso dizer que Ira é uma palavra que descreve muito bem o que sinto neste momento, e acho que vai ser hoje que me vou chatear em grande com a porca cá de casa. Tenho tolerado os sapatos espalhados pela sala dias inteiros, a louça suja do pequeno-almoço na mesa da sala o dia todo, os ténis em cima da mesa onde comemos, os cabelos no lavatório, o facto de ela nunca pôr papel higiénico na casa de banho... tenho engolido, calado, respirado fundo. Tenho até tolerado os pratos sujos que ficam na cozinha durante a noite e enchem tudo de formigas, mas hoje... hoje a porca esmerou-se. De madrugada lá foi ela cozinhar, e deixou o lava-louça (duplo) cheio de louça suja, que nem sequer passou por água. Hoje quando fui tomar o pequeno-almoço a javardeira era tanta que nem sequer consegui arranjar espaço para lavar a minha louça. As formigas eram  - e são - aos milhares e eu estou à espera que ela chegue para lhe ir à boca. Sim, porque eu fofinha como sou, deixei um bilhetinho a dizer que não pude usar o lava-louça e a pedir por favor para não se deixar louça suja durante a noite na cozinha. Ela, ignorou. Saiu de casa, deixou tudo na mesma e eu, ainda não lavei a louça do meu pequeno almoço (são 7pm) porque não tenho espaço e a javardeira formigal reina naquela cozinha. Portanto, hoje foi o dia em que a minha paciência chegou ao fim e vamos ter uma conversa muito chata.
Isto não é uma questão cultural, não é uma questão de idade. É só e apenas uma questão de badalhoquice. Portanto, como disse no início estou absolutamente em brasa, e a fermentar há 3 horas, e isto não vai ser bom.
Além disso o prof de finanças não pôs os resultados dos problemas online e por isso eu continuo sem perceber esta merda. Estou cansada de estudar, cansada de trabalhar, cansada de estudar sem resultados, cansada de ter uma porca a dividir o mesmo espaço que eu.
Estou a tentar fazer o download de um livro semelhante ao meu mas em português a ver se consigo perceber sem a barreira da língua, mas nada.
Por isto tudo apetece-me muito partir o nariz a alguém e parece que a pequena mineira se pôs a jeito.
Se me quiserem dar algumas sugestões mais pacíficas têm cerca de 3 horas até a cabra chegar e eu resolver a coisa à minha maneira.
Portanto, como vêem, esta minha semana tem sido para lá de espectacular! O que vale é que amanhã não trabalho nem no fim de semana. Vou guardar finanças até ter as soluções e vou dedicar-me a outra merda qualquer, tipo contabilidade ou macroeconomia.
Umas grandes beijocas para quem está desse lado. Aguardem novidades sangrentas...





02/03/2011

Em modo telegráfico

Fartei-me de trabalhar hoje. Stop. Continuo sem resolver os exercícios de Finanças. Stop. Amanhã o professor publica as soluções, logo vou ver. Stop. Estou extremamente cansada, mas não durmo descansada com esta merda por resolver. Stop. Há morcegos aqui na rua e a Ane foi atacada por um pássaro gigante. Stop. Viver no campo sucks! Stop.

Beijos e abraços e tudo. Vou DORMIR!

01/03/2011

Help! I need somebody!

Bom amiguinhos, amiguinhas e desconhecidinhos. O meu dia hoje foi uma seca e prevejo que os próximos quatro até ao final da semana sejam iguais. Lá fui eu trabalhar cedinho, depois vim para casa e estive a estudar. Mais uma vez não consigo fazer o C****** dos exercícios. Começo a ficar sem paciência para aquela merda. Ainda não desisti, hoje ainda lhes pego de novo mas estou altamente preocupada. Claudinha lembras-te quando me explicaste as funções (acho que era isto) na faculdade? Aposto que me saberias explicar isto com uma perna às costas... portanto se quiseres um fim-de-semana destes aparecer por aqui tás na boa, ok? O que me vale é que eu tenho a mania que sou esperta e então acho que será só uma questão de tempo até dominar a coisa, mas confesso que está a custar.
Hoje estive a trabalhar com a Stephanie. É miúda, deve ter uns 20 ou 21 aninhos. É gigantesca e fala à teen, o que significa que eu não percebo nada do que ela diz. Termina todas as frases com : "yu nó?" (you know?), fala depressa comó catano e eu não consigo perceber as conversas que ela tem com as outras pessoas.
Hoje foi lá um sr elogiar o meu capuccino da semana passada e eu não percebi. Só depois da Steph me dizer pela segunda vez. Estes gajos têm um accent muito fechado. Nós estamos habituados ao inglês dos filmes americanos e depois chegamos aqui e parece outra língua. Inclusive, há expressões que nós usamos porque ouvimos nos filmes e eles aqui não sabem o que é.
E o Johnatan? outro colega claramente descendente de chineses, mas nascido cá. Fogo... outro teen que não se percebe nada. Eles devem achar-me meia tonta porque muitas vezes limito-me a sorrir e a dizer ok, porque simplesmente não percebo e acho também que não deve ser nada de interessante ou importante.
Hoje trouxe parte da comida que iam deitar fora para casa, o que fez as delicias da minha norueguesa mai linda, que chegou da faculdade cheia de fome e adorou o BBQ Pork que eu ai tinha. O BBQ Pork é basicamente pequenos quadrados de carne de porco cozinhados num qualquer molho meio doce e vermelho. A comida aqui tem muita influência asiática, o que é normal dada a quantidade de chineses que por aqui há. E o que estes gajos comem de noodles?? É a loucura.
E pronto como vêem os meus dias são assim hiper interessantes. Espero ir arejar um bocado pelo menos no Sábado e tirar fotos a algum sítio novo. É só que tenho tanto para estudar e ir a algum lado aqui demora tanto que acabo por perder a coragem. Mas no Sábado vou ver se saio de casa. Vou procurar no mapa algum sítio interessante e vou pôr-me a caminho. Agora, adivinhem lá, vou pegar nas Finanças. Vou deixar aqui um exercício. Quem souber resolver que me maile ok? Vá lá sejam fofinhos que eu mereço :)

Beijinhos!


A self employed investor who has just turned 35 wants to save for his retirement
with a Keogh account. His plan is to retire on his 65th birthday and wants a
monthly income, beginning the month after his 65th birthday, of $2000 (after
taxes) until he dies.
• He has budgeted conservatively, assuming that he will die at age 95
• Assume that until he reaches age 65, the Keogh account earns 8 percent
interest, compounded annually, which accumulate tax free.
• At age 65, assume that the interest accumulated in the Keogh account pays
a lump sum tax at a rate of 30 percent.
• Thereafter assume that the investor is in a 0 percent tax bracket and that
the interest on his account earns 7 percent interest p.a., compounded
monthly.
How much should the investor deposit annually in his Keogh account beginning
on his 35th birthday and ending on his 64th birthday to finance his retirement?